facebooktwitter     instagram

ARTE FINAL SELO 32 ANOS FUNDO TRANSPARENTE

Quarta | 26 de Outubro de 2022
União Gaúcha recebe o candidato a vice-governador Gabriel Souza. “Não haverá aumento de alíquota de contribuição do IPE Saúde”, afirmou.
União Gaúcha recebe o candidato a vice-governador Gabriel Souza.   “Não haverá aumento de alíquota de contribuição do IPE Saúde”, afirmou.

A União Gaúcha em Defesa da Previdência Social e Pública recebeu nesta terça-feira (25) o candidato a vice-governador Gabriel Souza (PSDB). Entre os temas tratados estavam a revisão geral anual dos servidores, IPE Saúde e IPE Prev, contribuição previdenciária dos inativos, dívida pública e Regime de Recuperação Fiscal.

A presidente do Sinapers, Katia Terraciano, enquanto representante da União Gaúcha no Conselho de Administração do IPE Saúde, juntamente com Ives Lucas (Fasp), trouxe algumas questões fundamentais a serem consideradas pelo próximo governador eleito.

“Queremos o resgate da gestão paritária, insistimos na retomada da igualdade de forças. Para isso, é preciso que os cargos de Diretor de Provimento de Saúde e Relacionamento com Segurados sejam escolhidos por representantes dos servidores. E que o presidente da autarquia continue sendo servidor de carreira, com vinculação ao instituto e mandato definido”, disse Katia.

Uma grande preocupação dos segurados é a ameaça de aumento da alíquota de contribuição do IPE Saúde. Questionado por Katia Terraciano, Gabriel Souza descartou a possibilidade e afirmou: “Serão avaliadas outras alternativas de receita que não sejam o aumento da contribuição. O candidato Eduardo Leite não afirmou em nenhum momento que aumentaria as alíquotas de contribuição”, disse Gabriel.

Outras questões também foram levantadas como a dívida do poder executivo com as cotas paritárias das pensionistas de 2015 a 2018 ao Fundo de Assistência ao Servidor (FAS), a apropriação do patrimônio imobiliário do IPE Saúde, a apropriação por parte do governo dos valores descontados dos servidores públicos no pagamento de precatórios e RPVs que deveriam ser repassados ao IPE e o congelamento da receita, visto que os servidores estão há oito anos sem reajuste de salários.

“Durante a pandemia muitos projetos foram votados e aprovados sem o debate com a sociedade, muitas vezes à revelia do interesse da sociedade. Por isso estamos ávidos para retomar o debate e exercermos plenamente nossa responsabilidade enquanto representantes dos servidores”, disse Katia.

Na ocasião a União Gaúcha entregou um documento elencando propostas sobre os temas abordados.